Curiosidades

Publicado em fevereiro 26th, 2018 | por Instacarro

0

Como modificações no carro impactam no valor de revenda?

Ao comprar um carro novo na concessionária, temos que ter em mente que a sua desvalorização é inevitável, por mais que você tenha o máximo de zelo e cuidado. Isso acontece porque, infelizmente, adquirir veículos em geral não é considerado como um investimento econômico, mas sim um bem que perde o seu valor e gera gastos. Logo, é importante conhecer mais sobre práticas e modificações no carro para tentar minimizar essa desvalorização natural.

Mesmo sabendo dessa gradual perda, adquirir um automóvel, mesmo que usado, faz parte do sonho de milhares de pessoas, pois as vantagens proporcionadas por ele são várias (fácil locomoção, rápido deslocamento, conforto etc.). Dessa forma, o mercado de compra e venda de veículos geralmente consegue se manter bem aquecido, isso devido ao grande volume de oferta e procura.

Assim sendo, ao querer revender um carro, o proprietário deve saber quais hábitos e alterações realizadas no automóvel podem beneficiá-lo e ajudar a fechar um negócio, ou prejudicá-lo e tornar a revenda uma dor de cabeça. Portanto, analisaremos a seguir importantes questões que um comprador, e principalmente um vendedor, devem levar em consideração ao negociar um veículo.

Fatores que podem minimizar a desvalorização

Como apresentado acima, com o passar dos anos automaticamente o veículo vai perdendo seu valor de mercado gradativamente. Entretanto, existem várias medidas e hábitos que o proprietário do automóvel pode adotar e que ajudam a diminuir essa tendência natural de desvalorização, facilitando assim na revenda do mesmo.

  • respeitar rigorosamente as revisões periódicas preestabelecidas pelo fabricante;
  • quitar todas as eventuais despesas que um carro pode adquirir (multas, taxa de licenciamento, IPVA etc.);
  • abastecer sempre em postos de confiança, para evitar danos ao motor causados por combustível adulterado;
  • ao precisar trocar qualquer componente do automóvel, optar por peças e acessórios originais (evitar mercado paralelo e procedência duvidosa);
  • garantir um bom estado do jogo de pneus;
  • pintura adequada e conservada (geralmente automóveis nas cores prata e preto são negociados mais facilmente);
  • fazer reparos em geral na lataria (riscos, amassados, pontos de ferrugem etc.).

Fatores que valorizam

Diferentemente dos fatores que minimizam a desvalorização, há elementos que ajudam a valorizar o carro, ou seja, são incrementos que agregam valor ao veículo. Logo, mesmo levando em consideração a tendência natural de desvalorização do automóvel, revender um carro nessas circunstâncias fica mais fácil.

  • colocar alarmes e dispositivos de segurança;
  • instalar sistema de ar-condicionado caso ainda não tenha;
  • adquirir kit vidros e travas elétricas;
  • instalar direção hidráulica;
  • comprar bancos de couro.

Fatores que podem maximizar a desvalorização

Já nesse caso, é importante ressaltar que há fatores que ajudam a acentuar consideravelmente a desvalorização natural do veículo, ou seja, o carro perde muito o seu valor de mercado.

Revender e fazer um bom negócio nessa situação pode ser um sério problema, pois para não levar muito prejuízo, basicamente você deverá encontrar um comprador que compartilhe do mesmo gosto que o seu, aprovando as modificações no carro que foram realizadas. Confira quais são:

  • cortar molas e rebaixar a suspensão do veículo;
  • colocar rodas grandes e desproporcionais;
  • colocar acessórios em geral que descaracterizam a originalidade do carro;
  • instalação de spoiler e asa traseira (se colocado aleatoriamente, não necessariamente favorece a aerodinâmica do veículo);
  • pintura em más condições de conservação;
  • carro com folgas excessivas (dando a impressão que tudo está movimentando/balançando ao dirigi-lo);
  • defeitos na lataria em geral, como riscos e amassados.

O grande dilema da customização

Ao contrário do que muitos pensam, realizar customizações e a prática de tuning geralmente não agregam valor de mercado ao carro. Ou seja, todo o investimento gasto pelo proprietário com as diversas modificações no carro não necessariamente será levado em consideração na hora da revenda. Logo, há grandes chances de encontrar sérios problemas ao tentar finalizar o negócio.

Além disso, ao fazer modificações no carro, o proprietário deve ficar atento com as regras estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito, o CONTRAN, e saber as reais consequências que cada alteração pode causar em seu veículo.

Turbinar o motor

O motor pode ser alterado visando aumento de potência, entretanto respeitando o limite de 10% de acréscimo.

Consequências ao desrespeitar

O carro sai de fábrica com um motor que está adequado àquele projeto, sob circunstâncias específicas e previamente estudadas. Em outras palavras, elevar exageradamente a potência do motor pode comprometer a mecânica e dirigibilidade do automóvel.

Películas para os vidros

Popularmente conhecido como vidro fumê, alterar a transparência dos vidros também é regido por lei:

  • limite mínimo de transparência de 75% no para-brisa incolor;
  • limite mínimo de transparência de 70% no para-brisa colorido;
  • limite mínimo de transparência de 70% nos vidros das janelas das portas da frente;
  • e nos demais vidros limite mínimo de transparência de 28%.

Consequências ao desrespeitar

Coerentemente, escurecer demais o vidro compromete na visão do motorista, logo, aumentam os riscos de acidentes por falta de visibilidade.

Rebaixar o carro

Rebaixar o veículo não é proibido, entretanto, isso precisa da aprovação do Departamento Estadual de Trânsito, o DETRAN.

Consequências ao desrespeitar

No mesmo raciocínio de turbinar o motor, há um estudo prévio (feito pelo fabricante), que estabelece a faixa de altura ideal que cada veículo deve ter, desrespeitar esse parâmetro implica em consequências na estabilidade e desgaste precoce da suspensão.

Rodas/pneus

É permitido por lei colocar rodas de aro maior nos carros, mas desde que a soma do tamanho do pneu e da roda permaneçam o mesmo (limitados pelo diâmetro externo do conjunto).

Consequências ao desrespeitar

Automóveis com pneus e aros desproporcionais ao tamanho original comprometem a dirigibilidade do veículo, além de acelerar o desgaste de molas e amortecedores.

Vale ressaltar também que infringir esses parâmetros, além de trazer problemas na mecânica do carro, você estará sujeito a multas estabelecidas pelo CONTRAN.

Diante disso, fica fácil perceber que é praticamente impossível vender um veículo pelo mesmo valor de compra. Entretanto, ter o máximo de zelo e os devidos cuidados com as modificações no carro ajudam, e muito, você obter sucesso na revenda, aumentando suas chances de fechar negócio rápido e por um preço justo.

Deseja vender um carro? Então entre em contato conosco! A InstaCarro.com realiza cotações de forma gratuita. Garantimos o máximo de segurança e o mínimo de burocracia.


Sobre o Autor

A Instacarro é uma plataforma online de venda de carros usados determinada a revolucionar a indústria automobilística do Brasil. Para quem quer vender um carro usado, a Instacarro é a melhor opção!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para cima ↑