Como a tabela Fipe pode ajudar na hora de vender o seu carro?

16/08/2017 Tabela Fipe

Está pensando em vender ou comprar um carro, mas antes gostaria de saber seu preço no mercado? A tabela Fipe é a maneira mais fácil e segura de chegar nessa resposta.

Saiba que os valores presentes nessa tabela não são leis se tratando de compra e venda de carros. Esse valor é simplesmente um indicador para ser usado como base em, por exemplo, negociações. Seja de um carro novo ou usado. Então, um vendedor pode cobrar mais caro de um cliente do que o valor previsto na tabela? Sim, ele pode. Mas você também pode utilizá-la a seu favor, tanto para compra quanto para venda.

A Fipe ajuda na hora de fazer o cálculo de depreciação do veículo por causa de algum problema mecânico, por exemplo. Quando for vender ou comprar um carro com pneus carecas, batidas na carroceria ou mesmo com o motor fundido, o jeito mais fácil é descontar diretamente do valor presente na tabela da Fipe.

E tem mais: tanto o preço da tabela IPVA quanto a indenização prevista no contrato feito com uma seguradora também são influenciados pelo valor da Fipe. Ou seja, o tanto que você paga de imposto e o quanto o seguro te ressarce em casos de sinistro é totalmente definido pela tabela.

Entenda como a Tabela Fipe funciona e confira o post completo abaixo para saber mais como tirar vantagem da Tabela.

O que é importante saber sobre a tabela Fipe ao negociar um carro? 

O recomendável para qualquer pessoa que está pensando em fazer negócio com revendedoras de carro, seja para compra ou venda, é saber o valor do mês do modelo de seu veículo definido na tabela Fipe.

Estão disponíveis na tabela Fipe veículos de todas as construtoras e de todos os modelos fabricados a partir de 1985. Ou seja, tanto aquele Opalão Comodoro de 1989 quanto o último modelo do Camaro lançado pela Chevrolet possuem informações na tabela. Para consultá-la pela internet, é bem fácil. Normalmente, é necessário fornecer a marca do carro, o modelo em questão, o ano, sua versão e a região (estado) em que ele teoricamente seria vendido ou comprado.

Entretanto, como o valor não leva em consideração a quilometragem, a cor ou mesmo o estado de conservação do veículo, é bem comum que compradores queiram acertar um preço menor. A própria região do carro também influencia diretamente no valor. Por exemplo: o estado de São Paulo é o mais caro para se comprar um automóvel, mais do que qualquer outro estado brasileiro; nesse caso, em qualquer lugar fora do estado paulista o preço será menor.

E ainda tem de ser considerado o ano do modelo do carro, que é determinante para a valorização do mesmo, e independe do ano de fabricação. Um carro 2015/2016 (fabricação/modelo) possui o mesmo valor na tabela Fipe que um modelo 2016/2016, portanto, a data da fabricação do automóvel não afeta o seu valor.

A tabela Fipe influencia diretamente no valor do IPVA e do seguro 

Todo começo de ano é a mesma coisa para que possui um carro na garagem: ter que pagar o IPVA. O imposto é cobrado em todo o território nacional no primeiro mês do ano, e pode equivaler de 1 a 4% – no Rio de Janeiro e em São Paulo é cobrada a alíquota máxima – do valor venal do carro.

Valor venal? Sim, aquele valor definido na tabela Fipe oficial, é a partir de lá que o valor do imposto é calculado. É importante ressaltar que o IPVA é orçado em cima dos números de janeiro, mês do pagamento, e não da média do ano anterior.

Inclusive, qualquer contrato com seguradoras de carro também são baseados na tabela. Em caso de situações de sinistro, como perda total do carro, o pagamento da indenização é feito em cima do valor que está na Fipe no mês de pagamento. Isso mesmo, no mês de pagamento, e não no mês em que o contrato foi assinado.

Nessas condições, o valor recebido em uma situação dessas pode até ser maior do que na época da assinatura. Por exemplo: se no mês do pagamento da indenização o veículo sinistrado, pela Fipe, possua um valor de 22 mil reais, é esse o tanto que o contratante irá receber, independente se o valor do momento da assinatura tenha sido de 1 ou 5 mil reais mais barato. Porém, lembre-se: o mesmo pode acontecer no inverso, ou seja, o carro pode acabar sendo desvalorizado também.

Tabela Fipe x valor de mercado

É inegável que a tabela Fipe de veículos continua sendo a principal referência de todos que negociam veículos, como revendedores, concessionárias e, principalmente, pessoas comuns que desejam trocar de carro ou simplesmente vender o seu. É bem provável que a tabela seja consultada ao menos uma vez antes de qualquer negociação acontecer.

Todavia, acredite, nem sempre ela pode ser a melhor opção de embasamento para determinar o valor de negócio do seu veículo. Estranho, não? Mas, na verdade, é bem fácil de entender o por quê: o cálculo do índice desconsidera valores excepcionalmente baixos e altos, decorrentes de, por exemplo, ótimas ou péssimas condições do veículo, quilometragem ou até mesmo avarias sofridas; já as revendedoras informam a média com base nos valores anunciados nos sites, envolvendo tanto lojistas quanto vendedores particulares, que jogam o preço pra cima e, consequentemente, a média também. Ou seja, um modelo de um certo carro, pela tabela Fipe, pode custar 30 mil reais, mas, em sites de revendedores, a média pode acabar sendo, por exemplo, de 33 mil reais.  

Considere que esse valor mais alto presente em anúncios na web não necessariamente significa que o preço a ser pago será de fato aquele. A prática, na verdade, pode acabar sendo comum e facilmente encontrada. Isso acontece porque dificilmente um cliente não vai tentar abaixar o valor da compra. Então, vendedores, principalmente particulares, acabam jogando um preço mais caro para possuírem uma certa margem de negociação com os compradores.

Como funciona a tabela Fipe para o Instacarro

Por mais que a tabela Fipe seja um importante índice de valores para carros e também usada extensamente em negociações, o Instacarro leva em consideração o valor de mercado no momento da venda para estabelecer o preço de carros. O valor de mercado é avaliado considerando a quilometragem, histórico, avarias e a oferta e demanda do veículo.

Venda seu carro em 3 passos

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *