A inspeção veicular em São Paulo vai voltar?

12/12/2017 inspeção veicular

Atualmente, questões ambientais são recorrentes nos meios de comunicação em massa, mas, infelizmente, na maioria das vezes, não recebem a atenção devida. O carro, como se sabe, é um dos agentes mais poluentes que existem — ainda mais com a tamanha frota mundial atual. Em relação a isso, recentemente foi sugerida na Câmara de São Paulo a volta da inspeção veicular.

Sobre esse assunto, há diversos componentes que precisam ser explicados para que as pessoas entendam o tamanho da sua importância. No post abaixo, falamos sobre o projeto de lei que prevê a volta da inspeção veicular e se ela realmente é eficiente ou não. Confira!

O projeto de lei que prevê a volta da inspeção veicular

Iniciada em 2010, na prefeitura de Gilberto Kassab, a inspeção veicular tinha como objetivo controlar a emissão de poluentes por carros, caminhões e qualquer veículo automotor que circulasse na cidade de São Paulo. A proposta parece, realmente, ser boa, mas o projeto durou apenas até o primeiro mês de 2014, quando o ex-prefeito Fernando Haddad decretou o fim da inspeção.

Entretanto, em agosto de 2017, o presidente da Câmara da capital paulista, em meio a vários protestos relacionados a poluição dos ônibus da cidade, sugeriu que a tal inspeção veicular de São Paulo voltasse para o cotidiano da população. Afinal, carros particulares poluem tanto ou até mais do que os coletivos urbanos.

O Projeto de Lei 300/2017, além da inspeção veicular, também prevê uma multa um tanto quanto salgada para quem ousar descumpri-lo: até R$ 5 mil serão cobrados dos proprietários que não se apresentarem para o processo. No entanto, a inspeção não será exigida para veículos novos — motos de até dois anos de rodagem e veículos com, no máximo, três anos.

Após dado o período limite para os veículos considerados novos, a inspeção deverá ser feita de dois em dois anos. Nos casos das motos e dos carros, a multa por descumprimento será de R$ 3,5 mil. O valor será ainda mais salgado para os caminhões e carros que trabalham por aplicativo (Uber, 99, etc.) — R$ 5 mil de multa caso o proprietário não realize a inspeção veicular.

Atual prefeito, Dória apoia a volta da inspeção veicular

Para quem acredita que a volta da inspeção veicular é boa para a cidade de São Paulo, aí vai uma boa notícia: o atual prefeito, João Dória, aprova e muito essa ideia. A proposta ainda não possui data para ser votada, mas o mandatário já afirmou que pretende sancionar o projeto de lei.

Aliás, a maioria dos parlamentares são a favor da volta inspeção. Processos como esse e a revisão de veículos são importantes para controlar as condições de rodagem dos carros. Assim como é péssimo ter um automóvel com condições mecânicas deterioradas andando pela cidade, um carro que emita muito poluente prejudica muito a atmosfera.

O prefeito, inclusive, ressalta que, mesmo sendo uma boa ideia, a inspeção não pode dar custos à população. A ideia é dar mais segurança para o trânsito da cidade e controlar a emissão de poluentes pelos veículos que circulam nos trechos urbanos — Dória ainda defende a obrigatoriedade da inspeção para quem o carro não é de São Paulo mas frequentemente circula na cidade.

Portanto, a tendência é que, até o fim de 2018, a inspeção veicular esteja de volta ao cotidiano dos cidadão paulistanos e das pessoas de fora que utilizam as vias da capital. Se tudo correr como planejado pelos parlamentares, em alguns anos teremos uma atmosfera menos poluída em São Paulo.

A eficiência da inspeção veicular

“Mas, afinal, essa tal de inspeção veicular é faz diferença mesmo?”. Acredite: sim. Em 2016, a Universidade de São Paulo (USP) publicou um estudo que, por meio de dados, comprovou a eficiência do processo na capital paulista. Para se ter uma ideia: durante o período que a inspeção vigorou, ao menos 559 mortes prematuras foram evitadas.

O ar das grandes cidades é muito poluído, causando diversos males a nossa saúde. As mortes prematuras foram evitadas justamente por causa do maior controle na emissão dos poluentes pelos veículos. Automóveis velhos, por exemplo, são máquinas de emitir poluição. Por essas e outras que essa manutenção de carro da inspeção acaba se fazendo necessária.

Além das mortes prematuras, cerca de 1.515 decorrentes da poluição também foram evitadas. No total, calculou-se uma economia de cerca de US$ 79 milhões — o que, na cotação média de dezembro de 2017, gira em torno de R$ 256 milhões — aos cofres públicos. Pelo visto, a inspeção veicular pode implicar em uma grande economia financeira.

Ademais a tudo isso, o controle da emissão de poluentes propiciado pela inspeção representou uma hipotética retirada de 1,4 milhão de automóveis e motos de circulação — de fato, não foram retirados tantos veículos das ruas, mas, por causa do controle em relação aos seus poluentes, é como se tivessem retirado esse montante de carros e motos da cidade de São Paulo.

A volta da inspeção veicular é boa?

Nos dias de hoje, é extremamente necessários que controlemos a nossa emissão de gases poluentes. Não só em relação ao transporte — privado ou coletivo —, mas a tudo. As questões climáticas estão aí para nos manter em alerta e evitar uma catástrofe — por mais que pareça dramático e exagerado, essa é, apenas, a verdade.

Nesse sentido, a inspeção veicular pode ser, realmente, uma boa ideia para o momento que a cidade de São Paulo vive. Antes de se perguntas onde fazer a inspeção veicular, relaxe — a medida, se aprovada, deve ser implementada apenas no fim de 2018. Até lá, por mais que não haja obrigatoriedade, cabe a nós nos policiarmos quanto a nossa emissão de poluentes na atmosfera.

Portanto, que tal vender aquele carro antigo da sua garagem para trocar por um modelo mais novo? Recentemente, diversas tecnologias sustentáveis foram implementadas nos motores dos veículos. Com a Instacarro, a venda é ainda mais fácil: sem dor de cabeça e em 90 minutos. Entre no nosso site para agendar uma inspeção gratuita do seu carro!

Venda o seu carro em 3 passos!

venda de carros

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *